ESTÉTICAESTRIASPARA O SEU CORPO

O que são Estrias

Cirurgia plástica post-estrias

São as linhas vermelhas ou roxas de comprimento e largura diversa que surgem no abdômen, mamas, braços, costas, coxas e nádegas, durante o período de maior crescimento ou na gravidez, resultantes da rotura da derme, devido ao estiramento muito rápido. Normalmente, algumas dessas lesões desaparecem quase que por completo, enquanto outras atrofiam, perdem a cor e tornam-se lustrosas, brancas, superficiais e estreitas ou brancas, profundas e largas. Embora possam causar irritação, prurido e estresse emocional, não comprometem a saúde física, mas afetam a autoestima e a confiança. Contudo, há diversos tratamentos que se subdividem em sessões, com intervalos regulares de tempo que, aos poucos, podem eliminar ou minimizar o problema.

Estrias vermelhas ou arroxeadas

  • Infravermelho associado ao ácido retinoico – O tratamento utiliza um aparelho com ponteira de cristal que dispara raios infravermelhos que aquecem as camadas mais profundas da pele, provocando a retração e produção de mais fibroblastos (células formadoras do colágeno e da elastina). Em seguida, é aplicado o ácido retinoico que também estimula o aumento das fibras de sustentação da pele. Após três meses de tratamento, o aspecto das linhas melhora entre 40% e 80%, dependendo da largura delas.
  • Luz intensa pulsada associada ao ácido retinoico – O tratamento deixa o tom da pele entre 30% e 80% mais uniforme e as estrias mais finas. Ele consiste na aplicação da luz intensa pulsada, que promove a regeneração das estruturas da pele, além de tratar os vasos dilatados que dão a aparência avermelhada. Depois, é aplicado o peeling de ácido retinoico que, por sua vez, aperfeiçoa a ação da luz.
  • Peeling de cristal associado ao ácido retinoico – É aplicado o peeling de cristal, que libera jatos de pó de óxido de alumínio para esfoliar e facilitar a penetração do ácido retinoico, que descama a pele e estimula a produção de colágeno. No final do tratamento, há uma melhora de até 40% na textura das estrias, que também ficam mais claras.
  • Vitamina C a 22% associada à luz intensa pulsada – Primeiro a vitamina C é injetada com uma agulha bem fina na camada superficial da pele. Ela, então, começa a agir nos vasos que dão a coloração avermelhada às estrias, estimulando a aproximação das bordas e deixando-as menos visíveis. Em seguida, durante meia hora, entra em ação o equipamento de luz intensa pulsada, que promove a contração da derme auxiliando o afinamento das linhas. O resultado normalmente aparece a partir da quarta sessão. No fim do tratamento, as estrias chegam a ficar cerca de 60% mais claras e finas.

Estrias brancas, superficiais e estreitas

Foto: 34

  • Radiofrequência – As ondas disparadas pela ponteira do aparelho usado atingem e aquecem a camada mais profunda da pele, provocando a contração e o aumento das fibras de colágeno, a reorganização dos tecidos de sustentação e a aproximação das bordas das estrias. Ao fim do tratamento, o aspecto das estrias é reduzido em até 80%.
  • Laser fracionado – Feixes de luz são direcionados à estria e, ao penetrarem na profundidade da pele, estimulam a produção de colágeno e elastina, preservando boa parte das células, o que acelera o processo de cicatrização. Uma única sessão promove uma melhora de cerca de 30% das linhas, mas o tratamento completo chega a 80%.
  • Peeling de cobre associado à intradermoterapia – De inicio é feito o peeling, que provoca uma microesfoliação e estimula a produção de colágeno e elastina. Além disso, como o cobre reage com uma enzima da pele responsável pela produção de melanina, a estria volta a ter a mesma tonalidade do restante do corpo. Em seguida, é injetado na camada superficial um mix de substâncias capazes de reconstituir e devolver a elasticidade, firmeza e hidratação cutânea. O resultado aparece, em média, após cinco sessões. Já a melhora das estrias varia entre 70% e 80%.
  • Carboxiterapia – O equipamento utilizado injeta gás carbônico no tecido subcutâneo para dilatar os vasos sanguíneos e estimular a formação de colágeno que, por sua vez, preenche as estrias de dentro para fora. O resultado aparece a partir do segundo mês de tratamento e a melhora das estrias pode chegar a 50%.

Estrias brancas, profundas e larg

  • Laser fracionado associado à subcisão – O tratamento promove microperfurações, destruindo e aquecendo as fibras de sustentação, para melhorar a textura e alisar a pele. Depois, quando os hematomas já tiveram desaparecido são realizados, em uma ou duas sessões diferentes, o método cirúrgico ambulatorial que utiliza uma agulha com ponta cortante para descolar e traumatizar a derme profunda, no intento de provocar a formação de colágeno e a recuperação parcial da estria.

Comente aqui