CIRURGIAS PLASTICASESTÉTICA 2REJUVENESCIMENTOREJUVENESCIMENTO FACIAL

Rejuvenescimento da pele

Cirurgia plástica post-rejuvenescimento

O procedimento que melhora a aparência e a textura em geral da pele, pode ser realizado de várias maneiras: com laser, luz, peeling químico e demais métodos não abrasivos. A melhor opção para cada caso será escolhida pelo cirurgião que previamente analisará cuidadosa a cor natural e o tipo de sua pele, para minimizar o risco de perda de pigmentação (clareamento da pele) ou desenvolvimento de pigmentação adicional. De qualquer forma, o laser melhora a aparência de rugas e linhas finas de toda a face, ou aquelas que se desenvolvem em regiões específicas do rosto (tais como no lábio superior e ao redor dos olhos). Os tratamentos a laser e luz, ou peelings químicos especialmente formulados, tratam disfunção de pigmentação, tais como manchas de sol e de idade. Já o laser e o resurfacing fracionado, ou resurfacing mecânico, tal como a dermoabrasão, podem melhorar a aparência de cicatrizes de acne, assim como demais condições da pele.

No entanto, tratamentos repetidos, cuidados específicos com o local do procedimento e acompanhamento pós-operatório com o cirurgião plástico, são essenciais para que se mantenham os resultados alcançados.  Porém, ainda é importante lembrar que a pele continuará a envelhecer naturalmente e pode desenvolver condições semelhantes às que foram tratadas ou demais problemas relacionados.

Repense apenas a bioplastia com PMMA

Foto: 44

Com a promessa de dar volume às maçãs do rosto, aumentar os lábios e o queixo e ainda definir o contorno da mandíbula, o polimetilmetacrilato, cuja sigla é PMMA, fez e ainda faz certo sucesso por seu caráter definitivo e preço baixo. Embora o material seja inofensivo ao corpo humano, ele só pode ser utilizado em quantidade apropriada, sempre por bom especialista. No entanto, qualquer profissional nessa condição, também pode se valer de outros recursos, principalmente, porque muitos pacientes submetidos à substância correm diversos riscos, entre os quais, o surgimento de nódulos de tecidos endurecidos e inflamados, que mudam de posição conforme se dá o envelhecimento natural, momento em que, na maioria das vezes, deformam a face. Se não bastasse, ainda é bom lembrar que, o emprego do PMMA limita outras possibilidades de tratamentos, inclusive os corretivos, depois de alguns anos da aplicação.

Comente aqui