ESTÉTICAESTÉTICA 2FLACIDEZPARA O SEU CORPO

Saiba sobre Flacidez

Cirurgia plástica post-flacidez

Quando emagrecemos de forma drástica ou sofremos com o efeito sanfona, normalmente aparece a flacidez, que se dá pela diminuição da tonicidade da pele na face, pescoço, braço, abdômen e coxa. No entanto, sua intensidade depende de vários fatores, tais como quantidade de peso perdida, idade, elasticidade da pele, nutrição, exposição à luz solar, tabagismo, fatores genéticos, gestação etc. Por isso, até pessoas magras que praticam atividades físicas regulares e fazem dieta balanceada podem ter a pele flácida, alteração estética que influencia na autoestima e na qualidade de vida. Embora seja difícil tonificar a pele, a evolução dos equipamentos está tornando os tratamentos não invasivos bem mais eficazes.

Radiofrequência –  Trata-se da emissão de ondas eletromagnéticas que promovem o aquecimento superficial e profundo da pele em torno de 42 graus. A partir daí, o calor começa a estimular da produção de fibras colágenas e elásticas, enquanto também provoca um aumento da circulação sanguínea.
Laser Infravermelho – A luz laser infravermelha também penetra profundamente na pele, momento em que se torna capaz de estimular a produção de colágeno, elastina e outros componentes responsáveis pela elasticidade e sustentação da derme.
Ultrassom microfocado – Usado principalmente na flacidez de face e pescoço, os disparos das ondas ultrassônicas, que chegam a 10 mil, provocam pontos de retração da pele, que aquecem as camadas mais profundas da derme e estimulam a formação de colágeno e elastina. Juntos, eles reduzem a flacidez e melhoram a elasticidade da pele.
Radiofrequência fracionada associada ao ultrassom –A técnica invasiva possibilita a realização de centenas de microperfurações controladas sobre toda a região da pele que deve ser tratada, seguida de infusão de substâncias ativas (com auxílio do ultrassom, equipamento especial que emite ondas capazes de introduzir vários tipos de medicamentos no interior das perfurações. Quando elas atingem a camada mais profunda da pele, há uma redução da flacidez, bem como de vários outros problemas estéticos.

No entanto, é importante lembrar que, o melhor tratamento sempre deve ser indicado por um médico, profissional capaz de descartar expectativas ilusórias e orientar o interessado a procurar a cirurgia quando a flacidez é intensa.

Comente aqui